2017-2021 • GESTÃO INDEPENDENTE, DEMOCRÁTICA, DE BASE E DE LUTA!

Notícias

Fique por dentro de todas as atividades do sindicato.
30 jan

APP Sindicato Londrina quer revogação das ilegalidades na distribuição de aulas

Sindicato alertou governo que ilegalidades vão gerar consequências financeiras para o Estado e prejudicar qualidade da educação.

A direção da APP-Sindicato realizou nesta segunda-feira (28) uma nova reunião com o governo Ratinho Junior (PSD). O diálogo em busca de soluções para as ilegalidades contidas na resolução de distribuição de aulas deste ano foi com o chefe da Casa Civil, deputado estadual Guto Silva (PSD).

“Nós explicamos ao deputado que as maldades contidas na resolução são totalmente ilegais, têm causado o adoecimento dos professores e impactado na qualidade da educação”, comenta o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão.

Durante o encontro, o dirigente também entregou cópia de decisões judiciais impetradas pelo Sindicato onde o Estado já foi condenado por práticas adotadas contra os(as) professores(as). “É importante que o governo saiba que manter essas punições vai gerar uma dívida muito alta no futuro”, disse.

Na luta pelos direitos – Mesmo antes da posse do atual governador do Paraná, a direção do Sindicato tem intensificado a cobrança dos direitos dos(as) educadores(as). Hermes esclarece que pontos superados nas tratativas com a gestão anterior tiveram que ser retomados.

Um exemplo é aplicação de punições na distribuição de aulas extraordinárias aos(às) professores(as) que se ausentaram do trabalho por motivo de saúde. Essa medida, criada pelo governo Richa (PSDB), teve seu fim anunciado após a mobilização do 30 de Agosto de 2018, mas foi retomada pela atual gestão.

Os(as) dirigentes ainda pediram revisão de itens como a alteração feita na jornada de trabalho dos(as) professores(as) pedagogos(as) e readaptados(as) e o cumprimento da hora-atividade prevista em lei. Também foram cobradas as promessas de campanha do governador de atender as demais reivindicações da categoria, aprovadas em assembleia do Sindicato.

O chefe da Casa Civil prometeu analisar as reivindicações e conversar com a Secretaria de Estado da Educação (Seed), em busca de respostas para os impasses antes do início da distribuição de aulas na rede estadual.

Guto também alegou que o governo está com problemas no sistema de gerenciamento financeiro do Estado e disse que não poderia se posicionar, no momento, sobre pautas que envolvem recursos.

Também participaram da reunião, diretores(as) das secretarias de Funcionários, funcionária Nádia Brixner, e de Assuntos Municipais, professor Celso José dos Santos, da APP-Sindicato, o deputado estadual Professor Lemos (PT) e o assessor assessor da Diretoria de Infraestrutura, Logística, Gestão e Organização da Seed, Josimar Bochine.