NÚCLEO SINDICAL
LONDRINA

Gestão
Independente, democrática,
de base e de luta!
2017 - 2021

Notícias

O Coletivo de Sindicatos de Londrina convida a todos (as) para prestigiarem o debate com os candidatos ao governo do estado do Paraná. A presença dos eleitores é muito importante para conhecerem as propostas dos candidatos que pleiteiam o cargo de chefe do executivo paranaense. Compareçam!


Data : 5 de setembro de 2018


Local : UEL ( Anfiteatro Cyro Grossi – Pinicão )


Horário : 9 horas.

 

 

 

 

 

APP – Sindicato Londrina
Gestão Independente, Democrática de Base e de Luta.

 

Desde ontem (27/08), o coletivo de funcionários da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação encontra-se reunido em Curitiba-PR, conforme deliberado pela executiva da entidade. Os trinta e um (31) representantes, de dezessete (17) sindicatos afiliados à CNTE, irão debater a valorização profissional de todos os funcionários da educação que, como defendido pela CNTE, são essencialmente e efetivamente educadores, independente da área de atuação profissional nas escolas.

 

2018_08_28_destaque_coletivo_funcionarios.jpg

 

Para Zezinho Prado, secretário responsável pelo coletivo, esse encontro acontece num momento muito importante para toda a categoria e também para a sociedade brasileira: “Nossa luta não é apenas pelo nosso reconhecimento como educadores, não é apenas pela valorização profissional, mas é também em defesa da democracia porque ela é fundamental para impedir os retrocessos que os governos golpistas tentam nos impor”, afirmou.

O Presidente da CNTE, Heleno Araújo, fez a análise de conjuntura, desde um resgate de como a questão dos funcionários foi sendo incorporada às pautas da Confederação até o momento social e político que passa o país, numa realidade de ano eleitoral atípico que nos desafia a manter a resistência e fazer a defesa intransigente da democracia para garantir a soberania nacional. “Aqui somos todos e todas lideranças em nossos sindicatos e junto à base. Hoje, mais do que em outros momentos, temos que pautar o que estamos construindo nos últimos anos e nos apropriar do tema enquanto categoria e entidades. Temos sistematizado conhecimento, publicado materiais riquíssimos frutos das nossas formulações, mas agora é imprescindível que isso seja consolidado em forma de políticas públicas. Esse é o grande desafio que está posto”, finalizou.


A professora Fátima Silva, Secretária Geral da CNTE e Vice Presidenta da Internacional da Educação para América Latina, reafirmou o compromisso que essas entidades têm com as políticas encampadas em seus planos de luta. “Diferente da maioria das organizações representadas pela Internacional da Educação, a CNTE considera que os funcionários da educação são educadores. É uma visão nossa, uma bandeira que defendemos e que tem sensibilizado outras organizações, a ter um olhar mais atento às políticas para funcionários”, avaliou. Ela conclamou o coletivo a se comprometer ainda mais com o aprofundamento do tema em todas as instâncias.

Valdivino de Moraes, secretário executivo da CNTE, fez uma exposição sobre os resultados do Seminário Internacional de Funcionários de Escolas da IE, e avaliou a representatividade da CNTE. Também falou sobre a importância deste coletivo: “Aqui conseguimos encontrar as diferentes bases conceituais que norteiam a valorização dos funcionários, reafirmamos a construção da valorização e respondemos ao desafio de preparar o ambiente educativo e educar com nossas ações”, disse.

Hoje o programa do Encontro está voltado para a análise do cenário político e desafios nos estados, com a participação dos seguintes sindicatos afiliados à CNTE: AFUSE/SP, APP/PR, ASPROLF/BA, CPERS/RS, FETEMS/MS, SINDIUPES/ES, SINPROESEMMA/MA, SEPE/RJ, SINPROJA/PE, SINTAB/PB, SINTEAC/AC, SENTE/PI, SINTE/RN, SINTEGO/GO, SINTEP/MT, SINTEPE/PE e SINTERO/RO.

O próximo coletivo a se reunir em Curitiba-PA é o de bate ao Racismo, nos dias 29 e 30/08 e também incluiu na agenda visita dos participantes à Vigília Lula Livre.

VEJA TAMBÉM NO SITE DA CNTE: http://www.cnte.org.br/index.php/comunicacao/noticias/20172-coletivo-de-funcionarios-encontra-se-reunido-em-curitiba-pr.html

 

ImgPapelParede.jpg

APP-Sindicato Londrina

Gestão APP-Independente, democrática, de base e de luta

 

 

Educadores de todo o Paraná vão realizar uma grande paralisação no próximo dia 30 de agosto em Curitiba e, na tarde desta quinta-feira (23), a direção da APP-Sindicato recebeu a confirmação de que o governo autorizou a reposição deste dia.

A mobilização terá início às 9h na Praça Santos Andrade. De lá os (as) trabalhadores (as) seguirão em caminhada até a Praça Nossa Senhora de Salete, onde fica a sede do governo. Durante a manifestação serão lembrados os 30 anos dos atos de violência contra professores (as) no governo Álvaro Dias, em 30 de agosto de 1988, e o massacre do governo Beto Richa, em 29 de abril de 2015.

“Lutar sempre valerá a pena. Mobilize a sua escola, prepare o seu cartaz, procure a direção dos Núcleos Sindicais da sua região para se organizarem para o ato”, destacou o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão, em comunicado à categoria.

“O avanço na superação das inúmeras desigualdades que ainda temos no Paraná e no país só será alcançado a partir de uma educação pública de muita qualidade e uma educação de qualidade pressupõe condições de trabalho, valorização e respeito às manifestações”, reforçou.

O presidente da APP-Sindicato explicou que a posição do governo pela reposição foi comunicada pelo secretário de Estado do Trabalho, Paulo Rossi, durante reunião com lideranças sindicais. O sindicato reivindica que a reposição seja por conteúdo, mesma modalidade aplicada pelo governo em municípios sede de jogos escolares.

 

Ato : 30 anos do 30 de agosto.

Dia: 30 de agosto

Local: Praça Santos Andrade em Curitiba

Horário 9:00

Inscrições:

Até o dia 28 de agosto às 18:00

Fone : 3323 2662 - APP

Saída : Dia 29 de agosto às 23:50

Local : APP Sindicato – Av. JK 1834

Retorno : Logo após o ato.

APP- Sindicato Londrina.

Gestão APP - Independente, Democrática, de Base, e de Luta.

A APP-Sindicato está preparando a grande manifestação pública do próximo dia 30 de agosto. No dia, serão lembrados os 30 anos do ataque brutal aos (às) professores (as) que, em 1988, cobravam correção salarial. A violência e covardia do então governo Álvaro Dias e também a barbárie do 29 de abril de 2015, orquestrada pelo ex-governador Beto Richa, serão lembradas em um dia de paralisação.

Há 30 anos, professores (as) e funcionários (as) fazem deste dia um dia de luto e luta. Para garantir os direitos dos(as) educadores(a), a APP-Sindicato vem tomando todos os cuidados pedagógicos e legais para a organização deste dia. Às escolas, as orientações e materiais sobre os motivos da paralisação estão sendo repassados pelos dirigentes sindicais regionais e, ao governo, a direção estadual protocolou o ofício com as justificativas do ato, apresentando a pauta de reivindicações, que inclui o pagamento da data-base, a retirada de faltas das greves anteriores, a integralidade da hora-atividade e a revisão salarial dos PSS, entre outros.

Carta aos pais, mães, estudantes e à comunidade escolar.

No próximo dia 30 de agosto de 2018, completam-se 30 (trinta) anos da fatídica data do ataque da polícia do governador Álvaro Dias contra as(os) funcionárias(os) e professoras(os) em 1988.

A data é simbólica não só para a categoria dos servidores e servidoras da educação pública, mas também para toda sociedade paranaense, pois o então governador e atual candidato à presidente da república, Álvaro Dias, cometeu um crime contra a recente democracia reinstalada no Brasil, uma vez que ao invés de escolher o diálogo com as(os) educadoras(es) que protestavam pela valorização do seu trabalho, Álvaro Dias optou pela repressão com bombas e cavalos em frente ao Palácio do Iguaçu; prática típica do nefasto período da ditadura.

Seguem algumas situações que precisam mudar:  

  • Escolas Estaduais com poucas(os) funcionárias(os) para cuidar de nossas(os) estudantes;

  • As(os) professoras(es) estão sobrecarregadas(os), sem poder dar melhor atendimento as(os) estudantes;

  • Com a redução da hora-atividade o governo diminuiu o tempo que professoras(es) tinham para preparar aulas e corrigir trabalhos e provas;

  • Também puniu e está punindo educadoras(es) que ficaram doentes com a perda de aulas e de salário; culpabilizando o(a) doente pela doença;

  • Grande parte das salas de aulas estão sendo fechadas, aumentando assim o número de alunas(os) por turma, o que torna mais precário as condições de ensino e aprendizagem. 

 

A pauta da educação é extensa, mas estes são alguns pontos que urgentemente devem ser resolvidos. A qualidade do ensino tem drasticamente sofrido um grande retrocesso, desta forma o Estado do Paraná desvaloriza as(os) servidoras(es), pais, alunas e alunos! Lutamos contra o desrespeito!

Por isso, contamos com o apoio de você mãe e pai, das(os) estudantes e responsáveis para a nossa grande paralisação no dia 30 de agosto. Dia de luto e luta! 

 

Atenciosamente,

Direção da APP-Sindicato Londrina

Gestão APP - Independente, democrática, de base e de luta

A APP – Sindicato Londrina convida a categoria para participar da Reunião do Conselho Regional de Base.

Dia : 24 de agosto.

Horário: 17:30

Local : APP – Sindicato

Endereço: Av. JK 1834

APP Sindicato -  Londrina
Gestão Independente, Democrática de Base e de Luta.

 

Ato : 30 anos do 30 de agosto.

Dia: 30 de agosto

Local: Praça Santos Andrade em Curitiba

Horário 9:00

 

Inscrições:

Até o dia 28 de agosto às 18:00

Fone : 3323 2662 - APP

Saída : Dia 29 de agosto às 23:50

Local : APP Sindicato – Av. JK 1834

Retorno : Logo após o ato.

 

APP- Sindicato Londrina.

Gestão APP - Independente, Democrática, de Base, e de Luta.

 

 

 

 

Luta pelo pagamento da data-base continua, contra calote na reposição dos (as) educadores (as) e outras categorias do Poder Executivo.


A direção da APP-Sindicato acompanhou na tarde desta segunda-feira (13), a sessão em que os (as) deputados (as) estaduais derrubaram os vetos da governadora Cida Borghetti (PP) aos projetos de lei que estabelecem a reposição de 2,76% no salário do funcionalismo da Assembleia Legislativa (PL 304/2018), do Tribunal de Justiça (PL 299/2018), do Ministério Público Estadual (PL 298/2018), do Tribunal de Contas do Estado (PL 311/2018) e da Defensoria Pública (PL 297/2018). O placar foi de 43 votos a 3.

Apenas servidores (as) do Poder Executivo, como professores (as), agentes penitenciários, profissionais da saúde, policiais militares e outros, permanecem com os rendimentos congelados, desde 2016, sem a recomposição anual das perdas inflacionárias. A direção da APP-Sindicato, em conjunto com a coordenação do Fórum das Entidades Sindicais do Paraná (FES), continua a pressão para que a governadora devolva imediatamente à Alep o projeto de lei com a reposição dos (as) trabalhadores (as) do Executivo.

Estudos orçamentários registram o crescimento na arrecadação do Estado e provam que o governo tem dinheiro para pagar a dívida com o funcionalismo. Mas, usando a mesma prática do seu antecessor, o tucano Beto Richa (PSDB), Cida alegou previsões pessimistas para propor apenas 1% de reposição e, depois, ainda requereu a devolução do projeto já em tramitação na Alep.

A mudança ocorreu após a pressão dos (as) trabalhadores (as) resultar em uma emenda assinada por 31 deputados (as), corrigindo o índice para 2,76%, correspondente a inflação do período e o máximo permitido pela legislação eleitoral no momento. Sem o número de deputados (as) suficientes para barrar a alteração do índice, a governadora usou uma manobra regimental, requerendo o projeto de volta, para impedir a votação.

Agenda de luta – No próximo dia 30 de agosto, educadores (as) vão realizar uma paralisação em todo o Estado e um grande ato em Curitiba para cobrar o pagamento imediato da reposição da inflação e o cumprimento dos outros itens da campanha salarial deste ano. A data faz memória do dia 30 de agosto de 1988, em que o governo de Álvaro Dias reprimiu com violência, usando bombas e cavalos, uma manifestação pacífica de servidores públicos.

Data-base é dívida – Sem reposição desde 2016, a defasagem no salário dos (as) servidores (as) do Executivo – calote implantado no governo Beto Richa (PSDB) – é de 11,53%. Já os (as) funcionários (as) públicos (as) dos outros poderes não tiveram o mesmo problema, tendo recebido o pagamento da data-base nos anos anteriores e agora em 2018, conforme a derrubada dos vetos nesta segunda-feira.

 

 

 

 

 

logo_capa_fundo_face_NS_Londrina_000.jpg

APP-Sindicato Londrina

Gestão APP – Independente, democrática, de base e de luta

Ação é uma batalha de anos entre o Sindicato e o governo estadual 

 

A APP-Sindicato fez uma ampla divulgação sobre a Ação da CLT e recebeu nos meses de novembro e dezembro de 2017 e janeiro a março de 2018, aproximadamente 10 mil adesões ao Acordo Direto com o governo do Estado, para recebimento dos valores, previsto para acontecer até o final deste ano (veja o quadro abaixo). Agora, o Sindicato conseguiu na Justiça a liberação dos valores – referente à primeira parte da listagem dos credores prioritários (os recebidos até dezembro/2017), ou seja, as pessoas com mais de 60 anos de idade e que optaram pelo valor integral.

 

Fazem parte desta lista, 663 pessoas, que somam o valor de R$ 16.363.695,63. Esses valores serão transferidos para a conta bancária individual, informada por cada pessoa beneficiária no termo de adesão. Isso ocorrerá até o dia 14 de agosto. Este prazo foi definido pela própria Justiça, em virtude dos trâmites administrativos.

 

As pessoas que optaram pelo valor integral e que não receberam nessa primeira leva, devem aguardar novas orientações em breve. Os(as) educadores(as) que optaram pelo deságio, devem aguardar a informação sobre o pagamento que deverá ocorrer até o final do ano, conforme divulgado no momento da adesão.

 

Confira aqui a lista com os nomes das 663 pessoas que receberão estes valores:

 

Essa é a confirmação de mais uma conquista da luta jurídica coletiva!

 

O que é a AÇÃO DO PISO? Os(as) educadores(as) que trabalharam na rede pública estadual, pelo regime CLT, entre 1988 e 1992 têm direito a receber a diferença salarial relativa ao Piso (na época de três salários mínimos). A ação é uma iniciativa da APP-Sindicato que, cobrou na justiça a compensação salarial. A decisão beneficia mais de 34 mil profissionais e tem sido amplamente divulgada pelo Sindicato. Veja aqui o histórico de lutas sobre a Ação do Piso. As pessoas que tem direito aos valores da ação e não tenham feito a adesão ao acordo direto, podem, se desejar, fazer adesão a partir de setembro de 2018. As informações completas sobre essa nova rodada de adesão, serão disponibilizadas em breve.

 

 

 

 

logo_capa_fundo_face_NS_Londrina_000.jpg

APP-Sindicato Londrina

Gestão APP – Independente, democrática, de base e de luta

Parabéns funcionários (as) das escolas do Paraná!

Hoje é o dia de parabenizar aqueles (as) que são o alicerce da escola, estes profissionais são os primeiros a chegarem na escola e são os últimos a saírem. Não é somente hoje, que é o seu dia, todos os outros dias também são seus, o trabalho que vocês fazem são imprescindíveis para que a escola possa cumprir o seu papel perante a sociedade, vocês exercem com dedicação, zelo, propriedade e competência as mais diferentes funções em uma escola.

Vocês superam, dia após dia, os desafios do ambiente escolar e lutam pela valorização e pela qualidade do ensino público. Hoje não é somente o dia do funcionário (a) da escola, com merecimento e louvor 07 de agosto é o dia dos profissionais da Educação.

A APP Sindicato Londrina felicita todos (as) os (as) trabalhadores (as) das escolas e reitera o compromisso de luta pela valorização de todos os profissionais das escolas. Celebrar esta data é uma forma de reconhecer a importância destes (as) trabalhadores (as) no ambiente escola.

Parabéns profissionais da educação pelo seu dia! Parabéns!

 

APP-Sindicato Londrina
Gestão APP-Independente, democrática, de base e de luta

APP-Sindicato - Núcleo Sindical de Londrina