2017-2021 • GESTÃO INDEPENDENTE, DEMOCRÁTICA, DE BASE E DE LUTA!

Notícias

Fique por dentro de todas as atividades do sindicato.
6 abr

RENATO FEDER INSTALA O CAOS NA EDUCAÇÃO PÚBLICA DO PARANÁ

A direção da APP Sindicato Londrina recebeu inúmeros relatos de problemas durante toda a segunda-feira – 06/04.

            Na última quinta-feira (02/04), o secretário da Educação do Estado do Paraná, Renato Reder, anunciou durante uma ‘live ” a criação de um sistema de Educação a Distância (EaD) para atender os estudantes da rede estadual durante o período de duração da pandemia do coronavírus.

             Durante a “live”, Renato Feder deu a entender que a proposta era resultado de um grande planejamento. Em linhas gerais, o projeto ancora-se em 3 ações principais: a) transmissão da videoaulas na TV aberta; b) atividades no aplicativo “Aula Paraná”; c) atividades no “google classroom”.

            No entanto, a realidade não foi a idealizada pelo secretário estadual de Educação. O presidente da APP Sindicato Londrina, Márcio André Ribeiro destaca que “o final de semana foi de grandes dúvidas e incertezas nos grupos de WhatsApp das escolas. É uma grande irresponsabilidade implantar um projeto que atinge 1 milhão de estudantes por “live”. É uma brincadeira de mau gosto implantar EAD por EAD”.

               Apenas na sexta-feira, dia 03/04, a SEED publicou a Resolução 1.016/2020 que disciplina as atividades escolares durante o regime especial. Nesta segunda-feira as videoaulas começaram a ser transmitidas na TV aberta. No entanto, o aplicativo “Aula Paraná” não funcionou e na página em que estava disponível era possível perceber milhares de reclamações de estudantes, responsáveis e professores(as). Diante do caos, a equipe do Renato Feder começou a afirmar que está primeira semana seria de testes e adaptações.  Nesta segunda-feira, milhares(as) de professores(as) e funcionários(as) foram “descobrindo” que foram contemplados com a licença prêmio de forma compulsória. 

            Além disso, a pressa em anunciar a proposta fez com que a equipe da SEED/PR não considera aspectos básicos da rotina escolar. Para que o estudante acesse o aplicativo “Aula Paraná” é necessário que o estudante saiba o CGM – Código Geral de Matrícula. No entanto, a maioria das famílias e dos estudantes desconhecem o código e não sabem como fazer para recuperá-lo.

            Márcio André Ribeiro, ressalta ainda que “para complicar a situação, o governo Ratinho Jr. colocou em licença especial de forma compulsória 54 mil profissionais da educação. As escolas estão fechadas. É impensável que as direções das escolas e os poucos funcionários que permanecem trabalhando tenham condições de distribuir à merenda escolar, imprimir e entregar as atividades pedagógicas para os estudantes que não tenham acesso à internet e atender a demanda da comunidade escolar por informações. Não resta dúvida que a SEED não terá recursos humanos para atender 1 milhão de estudantes. Infelizmente, corremos o sério risco de ser tudo um faz de conta com o dinheiro público”.

                A direção da APP Sindicato reforça que tem acompanhado atentamente está situação e reforça que os problemas identificados na efetivação da plataforma em EAD devem ser comunicados ao sindicato pelo e-mail applondrina@yahoo.com.com.br . Na comunicação é importante que o educador(a) se identifique e faça prints dos problemas verificados.  

Veja mais:

Elencamos os 10 principais motivos para que o Paraná não utilize esta ferramenta na educação das nossas crianças e jovens:

https://www.facebook.com/pg/appsindicato/posts/

Questão das licenças prêmio compulsória:

https://www.applondrina.com/2020/04/05/ratinho-junior-obriga-54-mil-servidoresas-em-quarentena-a-tirar-licenca-a-partir-de-segunda-6/